Diário do Mundial VII

Faltam 6 dias

Portugal derrota Luxemburgo
A defrontar a segunda potência Europeia dos rankings da FIFA (a contar do fim, quarto pela contagem Elo que inclui países tão fascinantes como o Vaticano e o Mónaco), Portugal conseguiu mais uma incrível vitória por 3-0, com golos de Simão (dois) e de Figo. No entanto isso só aconteceu na segunda parte, após no primeiro tempo a melhor ocasião de golo até ter pertencido à terceira potência futebolistica do Benelux, com um cabeçeamento que embateu na trave. Cristiano Ronaldo mostrou de novo a sua "grande maturidade" ao fazer uma traqueostomia quando Strasser, o capitão Luxemburguês mostrou alguma dificuldade a respirar.

Já com Simão e Postiga em campo na Segunda parte, o segundo remata para uma defesa apertada do guarda redes luxemburguês e Simão coloca dentro da baliza para o 1-0. A mostrar a sua maturidade, Ronaldo ainda teve tempo para curar uma retina deslocada a Schnell, e quase em seguida, Simão cobra exemplarmente uma grande penalidade a punir falta sobre Figo, que ainda foi a tempo de marcar o 3º nos minutos finais, a aproveitar um passe logo de Petit.
Mais uma excelente exibição de Portugal que remete imediatamente para outra prestação de Portugal no Mundial: a de 2002.

Scolari não quer saber
O selecionador da equipa dele mostrou-se pouco incomodado com as notícias sobre as noites loucas de alguns jogadores em folga após o jogo com Cabo Verde, adiantando que "quando é folga, é folga. Não quero saber para que lado vão, onde vão ou com quem estão. Apenas têm de ter alguns cuidados no sentido de bebida ou droga", o que demonstra que continua a não haver problemas com jogadores que só vão para a selecção coçar os respectivos. Quer seja por (des)ocupação profissional, ou por actividades com profissionais do ramo.

Pauleta admite
O açor da selecção finalmente admitiu o que já há muito se sabia: "Tenho 46 golos… foram todos apontados em jogos a brincar". Agastado pelas críticas que, sem motivo absolutamente nenhum, atingiram um jogador que demorou mais que quatro jogos para conseguir fazer um remate à baliza durante o Euro 2004. Depois, queixou-se que "Ninguém se lembra que marquei ao Brasil, à Inglaterra, à Croácia, à Polónia… " tendo continuado com ".. Koweit, Liechenstein, Cabo Verde…", mas sem entretanto cair no hábito Romariano de referir potências como "Equipe sub-21 do Goiás em jogo de treino".

Scolari abre jogo para jornal brasileiro
Conhecido pelo seu amor à imprensa "eu só falo de quem convoco, pô" portuguesa, Scolari mostrou mais uma vez esse amor ao dar uma entrevista a um jornal de Rio Grande do Sul (porque se fosse do Norte era muito longe e não dava jeito) onde considerou que os seus críticos "São uns quatro ou cinco intelectuais. Aqui, quando eu falo em bandeira, em pátria, em nacionalismo, é porque sou pregador. Na verdade, é preconceito contra brasileiro mesmo" e vai mais longe ao dizer que "Quando saio na rua é uma loucura, eles vêm falar comigo, eles aplaudem. Está quase como no Brasil. O adepto gosta de mim. Noventa e nove vírgula nove aprovam-me aqui em Portugal". Um centro de sondagens já avisou Scolari "que os habitantes da casa dele não podem constituir uma amostra significativa".

Para concluir, o MIP considera-se orgulhoso por fazer parte da panorama intelectual português. Até vou já arranjar um spell-checker para os textos e tudo. Além de sugerir ao ultra-patriota selecionador da equipa dele que vá visitar o seu herói antes de voltar da Alemanha.

Só por acaso, o MIP pergunta de novo…
Qual é o jovem extremo Português que tem "problemas de controle emocional" e é "normalmente inconsequente" ?

Posted Sábado, 3 Junho 2006 by Silva in Diários do Mundial

%d bloggers like this: