Diário do Mundial XIV

Jogo 15 – Espanha 4 – 0 Ucrânia
A Espanha estreou-se da melhor forma ao derrotar a Ucrânia com a primeira goleada do torneio, quatro golos sem resposta, situação a que não foi alheia uma pequena ajuda do àrbitro da partida. Destaque para os principes das Astúrias a provar amostras de urina na bancada VIP, e os dois cortes gigantescos na “televisão oficial do mundial”, que reduziram o tempo de jogo de 90 para 80 minutos.
Golos:
13′ Xabi Alonso 1-0 – Canto na esquerda, e o médio do Liverpool aparece ao primeiro poste para desviar a bola com as costas.
17′ David Villa 2-0 – Livre frontal a cobrar falta de Rusol, e o mesmo encarrega-se de desviar a bola para o fundo da baliza
48′ David Villa 3-0 – Torres isola-se, e cai na àrea 12 minutos após ter sido agarrado pelos calções fora da àrea, o árbitro entende ser penalty, convertido por Villa.
81′ Torres 4-0 – Puyol ganha uma bola a meio campo, sabe-se lá como finta um Ucraniano, tabela com Torres, devolve de cabeça e o avançado dos ex-colchoneros fecha a contagem com o melhor golo da partida.

Jogo 16 – Tunísia 2 – 2 Arábia Saudita
No jogo que encerra a primeira jornada do Mundial colocou frente a frente duas das equipas mais fracas em competição, e o brilhante espetáculo na primeira parte correspondeu às espectativas com apenas um ponto de interesse: o golo de Jaziri. A segunda parte valeu pelos minutos finais, embora ninguem no seu perfeito juízo ainda estaria a ver o jogo por essa altura.

Golos:
23′ Jaziri 1-0 – Após livre cruzado para a àrea um defesa Saudita alivia contra um colega, e a bola sobra para Jaziri que coloca a bola dentro da baliza com um pontapé de moinho.
57′ Al-Kahtani 1-1 – Noor cruza, e Al-Kahtani finaliza com classe.
84′ Al-Jaber 1-2 – Contra ataque rápido da Arábia Saudita, e Al-Jaber finaliza isolado para dar a volta ao marcador
92′ Jaidi 2-2 – Com os Sauditas já a comemorar a vitória, Jaidi aproveita um cruzamento para igualar a partida nos descontos.

Jogo 17 – Alemanha 1 – 0 Polónia
O jogo de abertura da segunda ronda da fase de grupos opôs duas equipas com sortes diferentes: a Alemanha que com uma vitória ficava a 75% da qualificação, e a Polónia que com uma derrota ficava 95% fora da segunda fase. Com uma dupla avançada nascida no outro lado da fronteira, ambos ficaram ligeiramentos confusos da hora de rematar e desperdiçaram duas ocasiões de golo ainda na primeira parte. Durante a segunda parte, após Friedrich ter dado o lugar a Odonkor após ter conseguido fazer cinco cruzamentos para o 3º poste em cinco tentativas e Soblewski ter sido expulso, a Alemanha esteve perto de marcar, mas primeiro Klose e depois Ballack atiram aos postes na mesma jogada. No entanto, a velha máxima que diz que o futebol é jogado por 11 (contra 10, neste caso) e a Alemanha ganha sempre foi conformada quando Odonkor cruza para o substituto Neuville marcar o golo da vitória já nos descontos.

Golos:
91′ Neuville 1-0 – Odonkor cruza ao primeiro poste, e Neuville coloca o pé na bola que vai para o fundoda baliza.
Golo do dia

 


Puyol ganha uma bola a meio campo, sabe-se lá como finta um Ucraniano, tabela com Torres, devolve de cabeça e o avançado dos ex-colchoneros fecha a contagem com o melhor golo da partida.

Costinha fala
O médio dos ex-colchoneros utilizou a conferência de imprensa de ontem para polir os sapatos do selecionador nacional, dizendo que caso ele saia, “serão dez passos atrás“. Certamente agradecido por levar ao Mundial um jogador que somou a exorbitante soma de 0 minutos de jogo nos últimos seis meses, Costinha acha que “os jogadores mais novos irão beneficiar muito com o lado humano e profissional“, opinião certamente partilhada por Quaresma e João Moutinho. No entanto, dadas as críticas recebidas, Costinha tem dúvidas se vale a pena continuar a ser castigado por uma ou outra opção, por uma ou outra táctica, por um ou outro comentário“, o que acaba por ser verdade, já que um selecionador da suposta selecção nacional dar entrevistas amigáveis a jornais brasileiros enquanto chama “viados” a jornalistas nacionais ser criticado por isso é uma injustiça tremenda. Quanto ao espírito de balneário, o médio diz que “as coisas más que chegam ao balneário morrem à nascença“, o que não se entende já que Ricardo Costa e Ricardo ainda estão a respirar.

Simão quer camisolas
O pasquim diário Correio da Manhã (do mesmo grupo que o pasquim desportivo diário Record) noticiou que Simão não trocou de camisola com o seu companheiro de equipa Mantorras, tendo este ficado bastante desliludido com o companheiro. Como já aconteceu com o caso da braçadeira do Benfica, a camisola já teria sido muito provavelmente destinada a servir como fralda para uma das suas filhas.

Jogos do dia
Jogo 18: Equador – Costa Rica (14:00), (0-1)
Jogo 19:
Inglaterra – Trinidad & Tobago (17:00), (2-0)
Jogo 20:
Suécia – Paraguai (20:00), (2-1)

Posted Quinta-feira, 15 Junho 2006 by Silva in Diários do Mundial

%d bloggers like this: