Diário do Mundial X8

X8 como a Wrestlemania, em homenagem ao Itália – Estados Unidos de ontem. Seguindo para o que interessa (ou nem por isso, como vamos a ver)…

Jogo 27 – Japão 0 – 0 Croácia
Ou como o iria chamar caso não tivesse feito isso no jogo anterior, seca 1 – 0 futebol. Com as duas equipas a ter que ganhar e a não poder perder, o resultado foi um jogo onde o mais perto que se esteve de marcar um golo foi uma grande penalidade que Kawaguchi defendeu, para poucos minutos depois ter deixado um atraso ressaltar sobre o seu pé, salvando-se não porque os planetas estavam alinhados, mas sim porque a bola não ia alinhada com a baliza. Ao contrário das espectativas, não foi o Japão a dar o estouro a 30 minutos do fim mas a Croácia, o que não significa que o jogo tenha melhorado com isso.

Golos:
Ouvi dizer que um dos remates do Prso entraram por um dos portões de acesso. isso conta?

Jogo 28 – Brasil 2 – 0 Austrália
Após duas exibições brilhantes na primeira jornada (para ser convincente, deve-se dizer isto com entoações diferentes), as duas equipas defrontaram-se num jogo que podia colocar uma das equipas nos oitavos. A presença enorme de Ronaldinho Gorducho iria desde logo criar muita pressão sobre o escrete, e foi sem surpresa que a exibição do Brasil foi uma repetição da primeira, mas com Ronaldo um pouco mais activo (o que deu para se humilhar com pontapés na atmosfera), o mesmo se passando com a Austrália, que demonstrou a sua apetência pela perna alheia e o desporto do Futebol Australiano da AFL. O intervalo de pouco servui, mas uma jogada conduzida por Ronaldinho que colocou em Ronaldão, e quando tinha três defesas em cima serviu para Adriano que domina e remata para o fundo das redes. Se alguem achava que o golo ia sossegar o Brasil e dar inicio a uma exibição convincente, estava tão enganado quanto o Napoleão quando disse "isto de Waterloo resolve-se em cinco minutos e vamos para casa". A Austrália esteve por diversas vezes perto de marcar, mas o talento não chegava para começar as jogadas e depois as acabar. A maior ovação da noite estava reservada para Ronaldão, que foi substituído aos 71 minutos. Felizmente para ele, ninguem no estádio tinha ovos. Já com Robinho em campo, o Brasil melhorou, para grande surpresa dos que acham que ainda estamos em 1998, e foi o mesmo que já nos minutos finais remata seco, Schwarzer tenta cobrir o segundo poste (apesar de a bola não ir para lá, mas deve ter-lhe parecido boa ideia), a bola bate no poste e sobra para Fred, que havia entrado minutos antes, e acaba a questão. Mais uma vitória com o selo "Vitória Verde – exibição mínima", mas que qualifica o Escrete para a segunda fase.

Golos
49' Adriano 1-0 – Ronaldão segura a bola à frente da àrea atraindo os defesas, serve Adriano que executa com precisão clínica por entre as pernas de um defesa.
90' Fred 2-0 – Robinho chuta, Schwarzer atira-se para o lado errado (quando a bem dizer só havia um), a bola bate no poste e vai para Fred, que finaliza quase de olhos fechados.

Jogo 29 – França 1 – 1 Coreia do Sul Após um empate acompanhado por uma exibição fantástica contra a Suiça, a França conseguiu quebrar o enguiço de oito anos e marcar um golo por Henry ainda nos primeiros dez minutos, e controlado a primeira parte de tal forma que a Coreia do Sul aparenta ter ido 16 anos para o passado rumo ao Itália 90, mas com um flashback de apenas quatro quando o árbitro Archundia não vê uma bola dentro da baliza. Com o reumatismo a atacar, na segunda parte a Coreia começou a pressionar, e num lance que terá sido hilariante para Coupet, Barthez defende uma cabeçada para cima, e Gallas limita-se a ver a bola a entrar. A França ainda teve uma hipótese de ganhar a partida, mas Henry decidiu que quebrar duas tradições com oito anos era demais, e rematou ao lado.
Golos:
9' Henry 1-0 – Wiltord tenta rematar de fora da àrea, a bola bate num defesa e sobra para o jogador do Arsenal marcar o primeiro da França em oito anos.
81' Ji-Sung Park 1-1 – Cruzamento ao segundo poste, a bola é amortecida para Park que cabeceia, a bola passa por cima de Barthez que só consegue dar um pouco mais de altura, e depois Gallas tenta mostrar o que aprendeu com Petr Cech e Silvino e tenta desviar a bola com os olhos. Não consegue.

Golo do dia

Ronaldão segura a bola à frente da àrea atraindo os defesas, serve Adriano que executa com precisão clínica por entre as pernas de um defesa.

Figo com esperança
O capitano da selecção nacional mostrou-se esperançado nos Scolari Boys Club conseguir um bom resultado no Mundial, dizendo que "Vim para cá com uma mala grande e, por isso, estou preparado para continuar aqui muito tempo", concluíndo "Comprei-a há quatro anos em Macau, quando estavamos a ir para o jogo da Coreia".

Análise do jogo de Cristiano Ronaldo
Após observar os comentários elogiosos da imprensa nacional, o departamento de estudos técnicos do M.I.P. decidiu compilar uma estatística sobre a eficácio do dançarino de Riverdance da selecção nacional:

Jogos do dia
Jogo 30: Togo – Suiça (14:00), (1-1 e uma borefest)
Jogo 31:
Arábia Saudita – Ucrânia (17:00), (1-1)
Jogo 32:
Espanha – Tunísia (20:00), (2-0)

Posted Segunda-feira, 19 Junho 2006 by Silva in Diários do Mundial

%d bloggers like this: