Diário do Mundial XIX

Jogo 30 – Togo 0 – 2 Suiça
Tal como o previsto, um jogo onde a Suiça acabou por fazer mais que o Togo num jogo pleno de interesse, que acabou por ficar sentenciado antes dos 20 minutos com um golo de Frei. A vontade do Togo esbarrou na neutralidade Suiça, que de tão neutral quase parecia que um empate era suficiente, até que Barnetta selou a partida até dois minutos do fim. Destaque para os excelentes 20 minutos iniciais. Porque o M6 tinha o sinal aberto, e assim não tinha que apanhar os comentadores da Sporttv.

Golos
16' Frei 0-1 – Cruzamento da esquerda ao segundo poste, Barnetta remata cruzado de primeira mas a bola bate nos pés de Frei e entra.
88' Barnetta 0-2 – Remate colocado, sem hipotese de defesa.

Jogo 31 – Arábia Saudita 0 – 4 Ucrânia
Após o massacre aos pés da Espanha, a Ucrânia tinha a obrigação e a necessidade de ganhar à Arábia Saudita, que havia empatado o primeiro jogo. Logo aos quatro minutos, Rissol aproveita um canto para marcar de joelho pelo meio das pernas do guarda redes Saudita o primeiro. Sem ter que colocar muito o pé no pedal, o botão de velocidade de cruzeiro foi o suficiente para Rebrov rematar a cerca de 30 metros da baliza, com Zaid a decidir por-se de joelhos para receber o salvador (da Ucrânia) e ver a bola a entrar por cima da sua cabeça. A segunda parte não trouxe nada de novo, já que a tendencia da equipa àrabe para se humilhar nos mundiais manteve-se intacta, e Shevchenko aproveita um livre na esquerda para cabeçear o 3-0. Farto de oferecer golos estava Kalinichenko, que já nos minutos finais aparece para completar uma jogada iniciada por Shevchenko, e anular o goal-average negativo contraído no primeiro jogo.

Golos
4' Rusol 0-1 – Canto de Kalinichenko, e Rusol entra com o joelho que estava mais à mão na bola para a desviar pelo meio das pernas de Zaid.
36' Rebrov 0-2 – Rebrov recebe a bola no meio campo, dá dois passes e remata forte para o meio da baliza. Zaid lembra-se de apertar os cordões, e a bola entra por cima da cabeça.
46' Shevchenko 0-3 – Livre de Kalinichenko, Shevchenko aparece solto na àrea e cabeceia para o terceiro da partida. Se parece facil é porque foi.
84' Kalinichenko 0-4 – Shevchenko desmarca-se na esquerda, perde angulo para o remate, mas coloca ao segundo poste para Kalinichenko fechar a contagem, e lapidar as esperanças da equipa asiática.

Jogo 32 – Espanha 3 – 1 Tunísia
Depois da vitória expressiva, e não menos "empurrada" da Espanha frente à Ucrânia, restava saber se ou confirmava a exibição ou fazia como as restantes equipas do Mundia, e fazia uma exibição miserável onde não se acertam marcações e os passes saem com a força precisão de um leproso a chutar uma bola medicinal. O primeiro remate da partida por Villa dava a impressão da primeira, mas aos oito minutos um corte incompleto dá lugar a um escorregão de Puyol, e de erros defensivos em erros defensivos a bola acaba nos pés de Mnari, que remata uma primeira vez para defesa de Casillas e uma segunda para largar um balde de àgua fria sobre os espanhois. Não foi coincidência que tenha começado a chover. Apesar de controlar a bola durante grande parte do tempo, a Espanha não conseguia criar situações de golo iminentes, e foi já nos vinte minutos finais que Raul, o empechilho, aproveita uma defesa incompleta a remate de Torres para empatar a partida. O facto de ter sido um minuto após o tempo que demora a estas equipas darem o estouro tambem não foi coincidência. A partir daí, a Espanha aproveitou algum desnorte na defesa africana, e Fabregas coloca em profundidade para Torres que coloca os Espanhuelos na frente, e já nos descontos o mesmo Torres coverte uma penalidade sobre si, fechando a contagem em 3-1 e tornando-se no melhor marcador ao final da segunda jornada.

Golos
12' Mnari 0-1 – Desnorte colossal da defesa Espanhola, a bola sobra para Mnari que remata para uma primeira defesa de Casillas que é incapaz de desviar a recarga.
71' Raul 1-1 – Torres remata, Boumnijel defende para a frente e Raul é mais rápido que Trabelsi.
78' Torres 2-1 – Fabregas coloca a bola em profundidade nas costas do buraco da defesa Tunisina, Torres controla, contorna o guarda-redes e confirma a reviravolta no marcador.
91' Torres 3-1 – Após falta para grande penalidade sobre si, Torres remata forte e denunciado, mas acabar por passar por baixo do guardião africano.

Golo do dia

Vencedor da votação de golo do dia feito por
voto democrático, por uma pessoa à porta fechada:


Rebrov recebe a bola no meio campo, dá dois passes e remata forte para o meio da baliza. Zaid lembra-se de apertar os cordões, e a bola entra por cima da cabeça.

4+4+4+4
Nos próximos quatro dias, que vao fechar a fase de grupos, irão haver apenas jogos às 14h e 20h, com dois grupos a fechar por dia. Isto quer dizer que há menos um jogo para ver (ou fazer de conta que se vê), o que dada a qualidade de grande parte das exibições é um excelente sinal.

Jogos do dia
Jogo 33: Ecuador – Alemanha (14:00), (1-2)
Jogo 34:
Costa Rica – Polónia (14:00), (1-1)
Jogo 35:
Paraguai – Trinidad & Tobago (20:00), (0-0)
Jogo 36: Suécia – Inglaterra (20:00), (1-1)

Posted Segunda-feira, 19 Junho 2006 by Silva in Diários do Mundial

%d bloggers like this: