Diário do Mundial XXI

Jogo 37 – Irão 1 – 1 Angola
O jogo mais visto do torneio. Angola marca primeiro, com Portugal a ganhar por dois, e fica bastante perto da qualificação, mas com o golo do México e o empate do Irão, o sonho da passagem esfuma-se tal balão do S.João em noite de vento com uma mecha demasiado forte.

Golos
60' Flávio 0-1 – Cruzamento da direita com Flávio a cabecear cruzado num gesto técnico perfeito
75' Bakhtiarizadeh 1-1 – Acho que me ter lembrado no nome já não é mau de todo.

Jogo 38 – Scolari Boys Club 2 – 1 México
Após ter garantido a qualificação ao segundo jogo, o SBC defrontou um México cujas capacidades futebolísticas não igualam a história de massacres realizados em solo Azteca. E é sem surpresa, que após um sufoco nos primeiros cinco minutos um contra-ataque conduzido por Simão encontra Maniche na àrea, que remata para fora do alcance do guarda-redes Mexicano. Com a Equipa Dele a dominar, o 2-0 chegou após uma mão de deus muito mal disfarçada de Rafa Marquez na sua própria àrea. E Simão marcou o penalty mais fácil da sua vida, enquanto Oswaldo Sanchez a limpar o traseiro ao poste esquerdo. Quando parecia que a goleada estava iminente, e as portas abriam-se (ou pelo menos, ficavam com uma fechadura) para Angola, um canto marcado pelo lado esquerdo do ataque Mexicano deu a Fonseca uma hipótese de atirar para o fundo das redes. Como Ricardo Carvalho não se mexeu, e Tiago estava muito ocupado a marcar um companheiro de equipa, o golo foi um evento natural. Mais tarde, as suspeitas sobre o nome "Scolari Boys Club" parecer algo ligeiramente amaricado foram confirmadas quando Caneira, após uma defesa difícil decidiu dar um abraço apertado a Ricardo, e este retribui a encostar a cabeça ao seu peito. E neste momento, sei como se sente um escritor de livros eróticos. Adiante. A segunda parte, que normalmente nunca vem com nada de novo, veio com uma equipa supostamente Portuguesa que se revelou não serem mais que clones de fraca qualidade dos que começaram a partida. O México aumentou a pressão, e Miguel, esse jogador com um grande sentido de àrea, decide dar uma entrada voadora sobre um Mexicano, e como se isso não chegasse, ainda decide aterrar com a mão em cima da bola. Oportunidade para Omar Bravo, que decide que acertar na baliza é demasiado fácil, e tenta acertar no espectador com o bigode falso e o sombrero na 12ª fila. Conseguiu acertar no que estava dez filas acima. Como Miguel já estava a jogar muito bem, Perez cai a disputar um lance com ele, mas Lubos Michel achou que tentou realizar um triplo mortal à retaguarda, e mostrou o segundo amarelo. Se tudo parecia simples para o SBC, os jogadores entenderam que não, e dimunuiram a sua performance até o México parecer ter mais dois jogadores em campo. A entrada de Nuno Gomes para o lugar de Postiga (dizem que jogou, eu não o vi), que consegiu imitar o seu falhanço clamoroso em 2002, de pouco adiantou, tendo a equipa do grunho Brasileiro acabado com uma vitória lisonjeira.

Golos
6' Maniche 1-0 – Contra-ataque conduzido por Simão na esquerda, e Maniche, que o tinha lançado, aparece solto na àrea para concluir um golo em tudo semelhante ao que marcou em Lyon em 2004.
24' Simão 2-0 – Penalty marcado sem hipoteses para Sanchez, que estava demasiado ocupado a segurar o poste esquerdo.
29' Fonseca 2-1 – Canto na esquerda, e Fonseca aproveita-se das férias metidas pela defesa para marcar o golo.

Jogo 39 – Costa do Marfim 3 – 2 Sérbia
A prova que vi o jogo errado, já que este teve trovoada, cinco golos, nove amarelos e duas expulsões.

Golos
10' Zigic 0-1 – Bola comprida, o avançado aproveita-se de uma saída algo disparatada para contornar Barry e marcar o primeiro.
20' Ilic 0-2 – Ainda para descobrir
37' Dindane 1-2 – Dudic corta a bola com a mão, e Dindane converte.
67' Dindane 2-2 – Cruzamento, e Dindane bisa de cabeça.
86' Kalou 3-2 – Como Dudic acha que parar uma bola com a mão não chega, dá uma segunda que ofereceu a Kalou a oportunidade de vencer um jogo.

Jogo 40 – Holanda 0 – 0 Argentina
No jogo onde se ia escolher quem jogava com a Escolha de Scolari e com o México, notou-se que houve alguma confusão com o jogo que tinha acabado horas antes: se ninguem queria jogar com o SBC dos primeiros 20 minutos, a equipa dos segundos 45 minutos parecia muito mais acessível. Por isso, nada como jogar devagar e deixar que a sorte resolva quem fica em primeiro. O que não aconteceu, porque estes foram dos piores 90 minutos que o Mundial já viu. Embora como tem nomes grandes, para os comentadores foi mel numa tosta.

Golos:

Golo do dia


Contra-ataque conduzido por Simão na esquerda, e Maniche, que o tinha lançado, aparece solto na àrea para concluir um golo em tudo semelhante ao que marcou em Lyon em 2004.

Radio Gaga
Péle, o 3º melhor jogador de todos os tempos (atrás de Mané Garrincha e Maradona), mas que para a FIFA foi a "escolha unanimemente aceite" para melhor jogador do século XX (o facto das votações da internet terem dado Maradona como o melhor certamente não conta) e tambem a pessoa que vai entrar na história por, em 1994, ter dito que "o dinheiro está a matar o futebol" enquanto exibia uma gravata MasterCard tem "gostado muito" da qualidade dos jogos, enquanto acha que o Brasil tem "feito o que se esperava" O MIP quer saber onde se pode arranjar uma TV como a dele para ver os jogos.

Jogos do dia
Jogo 41: Rep. Checa – Itália (15:00), (0-1)
Jogo 42:
Gana – EUA (15:00), (0-0)
Jogo 43:
Croácia – Austrália (20:00), (1-2)
Jogo 44: Japão – Brasil (20:00), (0-2)

Posted Quarta-feira, 21 Junho 2006 by Silva in Diários do Mundial

%d bloggers like this: