433, VII Edição, 06-09-06

SBC vergado frente à Dinamarca
Em jogo de preparação a abrir a Selecção do Scolari pós-mundial, os rapazinhos que ele acha serem os melhores foram vergados a uma pesada derrota frente à Dinamarca, a primeira frente aos altos, toscos e louros e terceira consecutiva, o que não acontecia desde os tempos em que a Federação não sabia o que fazia e… OK, mau exemplo. Mas já não acontecia há muito tempo. O jogo começou mal, com Rommedahl a cruzar, Ricardo Costa tropeça e Tomasson (o tal que o Veigarista dizia que estava 100% no Benfica) a encostar para o primeiro logo aos 13 minutos. Demorou pouco a vantagem, já que Ricardo Carvalho aproveita uma sobra num lance de bola parada para fuzilar a baliza de Sorensen. Mas o empate não durou muito mais, já que Nani decide oferecer cerca de 250 m2 de terreno a Jorgensen que cruza para a área, onde Ricardo Costa, para não variar, tropeça de novo, bem como Ricardo Carvalho, e Kahlenberg coloca de novo os vikings em vantagem. Na segunda parte os rapazolas entram melhor, mas é Cristiano Cromaldo que falha um penalty. O empate viria pouco depois, com Sorensen a meter o que se chama “frango à Schmeichel”, e a desviar um canto de Nani para dentro da baliza. No entanto, a passividade da defesa iria dar frutos para os Dinamarqueses quando Ricardo Rocha deixa Jorgensen isolar-se a um passe de Kahlberg, e marcar o terceiro, e já nos descontos, Bendtner fecha o resultado final em Dinamarca 4, Ricardos 0.

Com um resultado negativo, valeu acima de tudo a apresentação de mais uma autoestrada pela Brisa:

Itália começa mal, outros mais ou menos
Os campeões do Mundo começaram mal a caminhada até ao Europeu ao ceder um empate caseiro frente à Lituânia. Com vitórias também apertadas, a Holanda (frente ao Luxemburgo), Alemanha (Irlanda) e Rep. Checa (País de Gales).

Mourinho compra guerra
Como o Mundo já não tem guerras que chegue, Mourinho decidiu começar uma contra a selecção Francesa, após a convocação de Makélélé, que já havia picado o “ponto mestre” após o Mundial ao chamar “Escravo” ao seu jogador. Thuram não hesitou em saltar ao pescoço de Mourinho, dada a sua experiência com o assunto nas suas viagens por África. No entanto, o conceito de escravatura de Mourinho não deve incluir enviar Gallas para as reservas só porque ele quis fugir. “E é só porque não tenho um poço para enfiar lá dentro“, disse, concluindo com “A sorte dele é que arranjei outro pretinho [ndr: Ashley Cole] para fazer o trabalho dele“, enquanto arranjava o seu chapéu de cowboy e o fato de linho branco.

O M.I.P. gostaria de lembrar que não existe nenhum povo mais chauvinista e com tiques de grandeza que o Português, quando o assunto é futebol. Para tal, basta ver os comentários (alguns bastante irónicos, tendo isto em conta) no Maisfutebol. Fica o desafio.

Caso Mateus acaba…
… por esta semana, pelo menos, com o resultado a pender para a manutenção do Belenenses. Practicamente por obrigação da FIFA, que já tem a ordem de despejo de Porto, Benfica e Sporting (além da selecção scolarial) das competições internacionais em curso em cima da mesa, pronta a assinar. A Liga já marcou o jogo do V. Setúbal frente ao Belenenses, embora o choradinho pelos lados de Barcelos deva continuar.

Com a morte de Steve Irwin, as esperanças de aparecer alguem com coragem para resolver o caso de uma forma convincente ficam cada vez mais diminutas. Pelo lado positivo, Cunha Leal demitiu-se, dizendo que “estava a haver uma usurpação de funções, havia um conjunto de situações anómalas em que estava a ser discriminado. Estava impedido de exercer responsavelmente as minhas funções“, referindo-se, quase de certeza, à saída de McCarthy do futebol nacional, o que significa que ia passar a ter 100% de tempo livre na liga, em vez de passar a tarde a rever os jogos do Porto à procura de motivos para enfiar sumaríssimos.

Noutras notícias da semana…
José Garrido, ex-ciclista do Benfica confessou ter andado na caça aos cogumelos para substituir o salário que não recebia do “orgulho da nação benfiquista”. Em dois assuntos COMPLETAMENTE não relacionados, o processo de Nuno Assis vai ser reaberto (deve ter comido um bitoque com cogumelos colhidos de uma planta de coca), e o Areias jogou pela Juventus. Sim, é verdade.

Posted Quarta-feira, 6 Setembro 2006 by Silva in QuatroTrêsTrês

%d bloggers like this: