433, XIV Edição, 2-11-06

Porto ganha clássico
Após um clássico anormalmente sossegado na frente administrativa, seguiu-se um com os habituais insultos e provocações do costume, mas isso é o costume e diga-se, já ninguem liga. Ou devia ligar.
O jogo começou com um Porto a pressionar a toda a linha da frente, e Quim consegue defender um remate de Lucho por obra do Espírito Santo (não confundir com o banco ou o guarda redes agora no desemprego), bem como fica a ver passar um remate cruzado de Quaresma passar rente ao poste. Como ficou a ver um remate de fora da área de Postiga bater na coxa de Lisandro, e ir lentamente para dentro da baliza, dando a vantagem à equipa da casa. Minutos depois, Quaresma volta a comer Nélson vivo e a tentar fazer o seu remate cruzado, que desta vez bate no poste e só acaba dentro da baliza. Tempo ainda na primeira parte para Katsouranis tentar extrair a articulação talocrural de Anderson, provocando-lhe uma fractura que o vai impedir de jogar nos próximos três meses (como é uma coisa que nunca aconteceu antes, vamos partir do princípio que não é premeditada) e de Helton parar um remate de Miccoli na pequena área tambem por intervenção divina.

No entanto, a velha história do jogo de duas partes repetiu-se neste jogo, com Jesualdo confortavelmente a defender uma vantagem de dois golos, reduzida aos 62’quando Katsouranis aproveita a falta de altura de Jerry Fucilen um canto, e eliminada aos 81 quando a defesa do Porto decide ficar a ver a equipa do Benfica a passar a bola, e Nuno Gomes a aparecer sozinho a desviar para o 2-2. Quando o empate parecia uma certeza, um lance de confusão na área do Benfica transforma-se em golo quando Bruno Moraes aparece solto na pequena área, e desvia de cabeça para fazer o golo da vitória, já nos segundos finais da partida.

Quanto a Veiga, a redacção de uma pessoa do MIP decidiu chamar alguem da WWE para transmitir uma mensagem:


SUCK IT!

Adiante. Ou indo para trás. o Sporting apanhou a chamada “buba”, e perdeu dois pontos graças ao hat-trick de um defesa. Paulo “Luis Campos” Bento culpou os jogadores, ppela, segundo ele, infantilidade com que abordaram o jogo. Falou o treinador com uma experiência de 31 anos de futebol profissional. Ainda no quarto Uefeiro da tabela, a Naval conseguiu igualmente um ponto nos descontos na recepção ao Braga, enquanto Pacheco continuou o trabalho do seu antecessor no Boavista ao perder 2-0 em Paços.

UEFA estranhamente positiva
A participação das equipas Portuguesas nesta jornada Europeia foi estupidamente positiva, com três vitórias em quatro jogos.

O Sporting começou com uma visita à Alemanha, mas apesar de uma exibição positiva com o ponto alto a sair de um remate ao poste de João Moutinho, Paulo “Novo Mourinho IV” Bento soma assim o quarto jogo consecutivo sem ganhar. Ele diz que é falta de sorte, eu digo que ele é masé um grande bluff. No dia seguinte, o Benfica começou melhor a partida frente ao Celtic, tendo Caldwell aberto o marcador na sua própria baliza logo aos 10 minutos, e contribuído para o golo de Nuno Gomes aos 22. Como um Benfica-Celtic tem que acabar 3-0 de qualquer forma, Karyaka volta a saltar do banco para encerrar o marcador já na segunda parte. Tudo seria muito mais positivo se o Copenhaga não tivesse vencido o Manchester United, pelo que de primeiro a último, ainda tudo é possível.

O Porto começou bem, a mandar no jogo, apesar de como era costume na era Adriaanse, a parra era muito maior que a uva, e foi preciso esperar pelo final da primeira parte para Lucho marcar um golo que até devia contar por dois. A entrarem em campo mais sossegados na segunda parte, e após um jogo de matraquilhos, Quaresma aparece em posição de fazer um cruzamento de trivela, e Lisandro desvia para o segundo. Parecia estar tudo bem encaminhado, mas Van der Vaart (ou Vranderrvaaarrrt como diria um holandês sem problemas de pronuncia) reduz logo no minuto seguinte com um bom remate de cabeça. A partir daí, na táctica-tipo de Jesualdo, o Porto recuou, e no minuto 67 primeiro Berisha remata com estrondo no poste direito e na sequencia do canto Sanogo cabeceia a rasar o homologo do lado esquerdo. Mas a pressão não podia durar para sempre, e a 15 minutos do final, com as entradas de Bruno Moraes para o lugar de Postiga e Jorginho para o de Lisandro, o Porto começou a esticar mais o jogo, e já nos minutos finais Bruno Moraes aproveitou um passe de Jorginho para Bruno Moraes rematar seco, colocado e rente ao segundo poste para o 3-1 . Porque raio o Jesualdo não fez isto contra o Benfica desafia a lógica. Ainda deu tempo para a saída de Raúl “AAAAH CABROUNHE” Meireles, e entrada de Marek Cech. No entanto, o empate caseiro do Arsenal frente ao CSKA significa que está tudo numa grande embrulhada, e o Porto pode ficar em qualquer posição desde 1º até 3º. Que até deve ser o que vai acontecer.

No entanto, a grande surpresa foi mesmo o Braga, que apesar de ter meia equipa no estaleiro recebeu e esmagou o Liberec por 4-0, com uma excelente exibição.

Barcelona no aperto
O Barcelona consentiu um empate nos segundos finais frente ao Chelsea com um golo de Drogba, precedido por dois belos golos de Deco e Lampard, que vai complicar as contas frente a um Bremen que derrotou o Levski com três golos em quatro minutos, e agora vai ter que esperar que o Chelsea derrote o Bremen e depois não fazer asneira na recepção aos teutónicos. Seja qual for, está aqui um bom candidato para ganhar a Taça UEFA. O Real recebeu e derrotou o Steaua, mas quanto menos de falar do golo melhor. Ver é mais interessante. Será que o presidente do Steaua também vai pagar para quem levar o Nicolita?

Adivinhe quem…

… e não, o Dhorasso não deixou crescer uma afro.

Homenagem da semana

40 anos. Ainda marca. O melhor avançado inglês dos últimos 20 anos.

Posted Quinta-feira, 2 Novembro 2006 by Silva in QuatroTrêsTrês

%d bloggers like this: