433, XV Edição, 8-11-06

Chapa Três
Foi o resultado com os três grandes derrotaram os seus adversários nesta jornada, com o Benfica a abrir frente ao Beira-Mar, e Segunda-feira o Sporting receber o Braga, mesmo com a equipa Minhota a marcar dois golos, pena que tenham sido na própria, e o terceiro sem se saber se entrou ou não. Seja como for, serviu para Weird Paul Bento quebrar a série de quatro jogos sem vencer. Quanto ao Porto, decidiu não passar por atrapalhações, e aos sete minutos já vencia por 0-2, com golos de Lisandro, surpreendentemente, mais um golo de Postiga em que fez mais que encostar. Coisa que é mais díficil para ele, quando desperdiça um cruzamento a meio metro da linha de golo, conseguindo cabeçar uma bola rasteira por cima da trave. Coisa que se entrasse colocava o avançado na frente da lista de melhores marcadores. A demonstrar uma subida de forma ainda a tempo de ser deixado de fora com controvérsia da selecção dos amigos do Srgt. Slaughter, Quaresma aponta um livre de forma exemplar, e fecha o resultado. Destaque ainda para entradas assassinas de Bruno Ribeiro e de Bruno Alves que passaram mais ou menos em claro. Da mesma forma que Djaló cravou muito literalmente os pitons em Paulo Santos (para gáudio de Pedro “matem-se para meu prazer” Henriques) e Simão tentou arrancar a canela de um jogador do Beira-mar

Nos outros jogos, o destaque vai a para a vitória por 5-1 do Nacional frente ao Paços, enquanto Aves e Estrela começam a ficar muito para trás.

Inácio sai, Carvalhal tambem…
… qual deles arranja substituto mais depressa, ninguem sabe bem. O antigo treinador do Sporting, onde foi campeão nacional confirmou a sua saída do Beira-Mar e irá prosseguir carreira no Ionikos FC, igualmente 14º classificado do campeonato Grego. O presidente do Beira-mar prefere não comentar “especulações que já para aí andam“, muito provavelmente para evitar motins relacionados com a possível contratação de José Peseiro, o nome mais falado.

Por outro lado, em Braga a saída de Carvalhal apanhou quase todos de surpresa, e como quem não quisesse ir treinar o Beira-Mar, apresentou a sua demissão esta quarta-feira alegando razões “apenas de ordem pessoal“. Como o João Pinto não querer entrar em campo, por isso vamos adicionar um “de” antes do “pessoal”.

Mourinho perde, culpa árbitro
O Tottenham interrompeu uma série de 16 anos sem vencer o Chelsea, apesar de um primeiro golo de belo efeito de Makelele parecer indicar o contrário. Dawson reduziu ainda na primeira parte, e na re-abertura do jogo, Mourinho coloca Khannabal Boulahrouz, ultrapassado por Robbie “Quim” antes do cruzamento para o segundo golo do Tottenham por Lennon, o que valeu a sua saída minutos mais tarde. Porque foi o Graham Poll que o meteu em campo. As coisas complicaram-se quando Terry vê o segundo amarelo por armar-se em patrão, e apesar de algumas tentativas o resultado não se foi modificar. Mas o pior estava para vir quando José “Tuga” Mourinho apareceu na conferência de impresa a dizer que “Há muito que defendo que os árbitros deviam vir às conferências de imprensa no fim dos jogos para explicar as suas decisões“, já que considera que Poll não expulsou um jogador dos Spurs por agressão, não validou um golo e permitiu a entrada de Boulahrouz.

Campeonatos nórdicos acabam
Como para fazer um jogo de dia não tarda tem que os começar de amanhã, os campeonatos na Escandinávia já acabaram com o Elfsborg a conseguir o seu primeiro título desde 1961 na Suécia, o Fimleikafélag Hafnarfjarðar a fazer o Tri na Noruega e o Tampere United a conseguir o seu quarto título Finlandês.

Dito isto, está na hora de ir a um certo jogo…

Posted Quarta-feira, 8 Novembro 2006 by Silva in QuatroTrêsTrês

%d bloggers like this: