433, XXXI Edição 28-03-2007

A versão “só para dizer que escrevi um 433 esta semana”

SBC derrota Bélgica, Ronaldo sobrevive
Com o jogo a começar quase uma semana antes quando Stijn Stijnen, o Neville Neville do futebol Belga disse que a melhor forma de ganhar era “partir as pernas ao Ronaldo em dois minutos“. A sempre razoável imprensa Portuguesa lembrou-se logo de empolar a questão ao ponto do ministro da defesa ter preparado as tropas portuguesas para invadir a Bélgica e a proibição no consumo de couves de Bruxelas. Foi neste ambiente que à chegada ao aeroporto, Demol agrediu dois fotografos. Depois disse…

  1. “Aprendi tudo com o guarda Abel”
  2. “Isto foi pelo que disseram de mim há 18 anos”
  3. “Ninguém vai desviar esta equipa para jogar na Luz”

Fair divers à parte, excepto no final da primeira parte quando falharam as pernas a Ronaldo quando curiosamente reparou que a bola ia demasiado alta, Portugal entrou em campo bastante concentrado, mas infelizmente para os resultados, estavam concentrados em jogar incrivelmente mal, o que continuou até à altura em que Nuno Gomes no seu estilo típico isola-se a passe de Tiago e remata por cima.

No entanto, para justificar a sua permanência na equipa, Nuno Gomes aproveita um passe de Moutinho, que tal como Tiago lembraram-se que estavam em campo na segunda parte, e marcaram o primeiro, fazendo o mais difícil: marcar o primeiro a uma equipa que defende com 10. Poucos minutos depois, Quaresma cruza ao segundo poste, a bola sobrevoa a área e os jogadores todos, até que cai na cabeça de Ronaldo e entra, mas Quaresma ia conseguir marcar o seu golito quando após 214 tentativas consegue acertar no remate de trivela e marcar o seu primeiro golo, pouco depois da Bélgica falhar um golo de baliza aberta. Ronaldo mostrou que talvez tivesse sido boa ideia fazer um Boulahrouz aos três minutos quando fechou a contagem a um quarto de hora do final.

Campinos de Portugal trazem empate

 

Os Campinos de Portugal, uma agremiação desportivo-cultural ligado ao Scolary Boys Club conseguiu um empate na Sérvia, com Tiago a fazer uma coisa rara – não fazer asneira num jogo da selecção – e a marcar um golo a abrir a partida. Depois a Sérvia empatou, e não sei mais nada porque tinha começado a fazer uma coisa mais importante que ver um jogo de bola.

Inglaterra afunda-se
A Inglaterra conseguiu um precioso empate em Israel, pelo menos para o que joga. O país da liga onde os cinco melhores treinadores são estrangeiros, bem como quase todos os jogadores de jeito, ficou mais um jogo em branco para surpresa e indignação dos seus adeptos.

No segundo jogo frente à super potência andorrenha, foram precisos 54 minutos para Gerard marcar um golo. 54.  Um segundo golo aos 76 minutos e o terceiro pelo incrível avançado do Preston North End, do qual José Marinho já veio dizer “conhecer desde… que ele estava… a jogar… <baralha um monte de papéis> a avançado… <abre a wikipedia> com as calças borradas … ah, não, não é esse… Frank Lampard, nunca fez um jogo mau!

De refrir que Frank “nunca joga mal” Lampard lesionou-se no treino após levar um pontapé de Wayne Rooney, que por pouco não fracturou o metatarso do pé outra vez.

Fica agora um apontamento dos tempos em que a Inglaterra tinha mesmo uma das melhores equipas do Mundo:

Posted Quinta-feira, 29 Março 2007 by Silva in QuatroTrêsTrês

%d bloggers like this: