Lá vai o espaço…

 

Costumo dizer que quanto pior estou, mais tralha compro. E por “tralha” entenda-se “CDs que devia comprar ao longo de um mês”. Para terem a noção de como estive “saudável” nos últimos 5 dias…

cds.jpg

Ok, está ligeiramente aldrabado. O Stay Together foi comprado via Amazon Marketplace no começo do mês, e chegou cá hoje. Um bocado tarde para o empurrar para o número 1, mas cá fica para decorar a estante entre o Suede e o Dog Man Star, tal e qual como o tenho na minha playlist. Agora estou com a vontade suicida de continuar a comprar alguns singles que apareçam… A seguir deve ser o Trash – que à atenção da menina Katie – dá-se ao luxo de ter como BSides a Europe is Our Playground e a Another No One – em versões separadas. Sacanas. Vão-me obrigar a comprar as duas, não é?

Depois da compra obrigatória dos Suede, seguem-se os Everything But The Girl com o seu belíssimo álbum de 1994 Amplified Heart. Não será tão bom, como Baby The Stars Shine Bright, de 1986, mas é responsável pelo que será a música mais conhecida do grupo: Missing, mais conhecida após o tratamento de Todd Terry que lhe garantiu horas de airplay na altura:

Em seguida, os KLF que penso que já referi por diversos motivos: desde um livro que ensina como se faz uma música para chegar ao número um dos tops, um filme onde queimam um milhão de Libras ou da sua bombástica saída da indústria em 1992. Após ter “falhado” a compra do primeiro álbum dos Utah Saints (não tenho culpa do CD estar ligeiramente esburacado), virei-me para o que será a grande referência do Stadium House: The White Room, o último álbum da banda de Bill Drummond e Jimmy Cauty. Como a banda retirou todo o seu catálogo de circulação, também não me fiz estranho ao maxi-single Justified & Ancient. E paz no mundo para ver se eles voltavam, não?

No fundo, o primeiro trabalho a sério do Peter Hook fora dos Joy Division/New Order: Enquanto os Revenge foram um projecto realmente embaraçoso – até para quem aparece no documentário da banda rodeado de travestis – os Monaco já davam sinais de alguma qualidade. Music For Pleasure, apesar de ainda assim estar longe do que os New Order faziam (mas ao mesmo tempo, melhor do que iriam fazer depois da passagem do milénio) colocava um single lá perto do top 10, em parte pelas óbvias parecenças de What Do You Want From Me? com a sonoridade típica dos New Order:

E entre outras coisas, o Year Zero está (finalmente) encomendado, com um voucher de duas libras da CDWow a reduzir o preço para a exorbitância de 4 euros, e deve chegar cá ainda este mês. Espero. Agora vou é meter uns travões na loucura que ainda quero completar o… “projecto especial” este mês e ir a Braga para o mês que vem.

Posted Terça-feira, 12 Fevereiro 2008 by Silva in Compras, Musica

Tagged with , , ,

%d bloggers like this: