Inauguração da Jojo’s

Após aproximadamente mês e meio do anúncio, a Jojo’s, uma das lojas de discos mais antiga do Porto (mais conhecida fora da cidade como CDGo) fez no passado Sábado a inauguração do seu novo espaço, agora estendido também ao segundo andar do edifício em que se encontra.

A loja agora está dividida em quatro espaços distintos: a parte central continua a ser a entrada, com o grosso das secções em CD (pop, alternativa, portuguesa e jazz) e as novidades, mas no segundo andar encontram-se os três novos espaços – na frente, com direito a secção de livros e música clássica, e nas traseiras, agora completamente dedicadas à música mais pesada. Mas costuma dizer-se que é no meio que está a virtude, e na Jojo’s assim é – a sala central é ocupada pela secção de vinil, que conta com dois escaparates distintos para 7 e para 12 polegadas, ambos com novidades, usados e raridades.

Quanto ao auditório, que ocupa agora o que era o backroom da loja (anteriormente, a secção de metal/brasileira, DVDs, livros e livros) foi pequeno para acolher a multidão que se deslocou para a mais pequena setlist do mundo, autoria de Manel Cruz.

Aliás, o único problema do auditório será mesmo o seu tamanho reduzido – embora nem todos tenham a capacidade de mover pessoas como o Bandido. Acredito que também sirva para screenings de filmes e documentários, mas sobre isso o tempo dirá. Pelo menos espera-se que mais ninguém leve com câmeras fotográficas na cabeça.

Seja como for, este é um espaço que o Porto bem precisava – é um espaço de cultura que vende cultura – não produtos pré-embalados prontos a consumir. Um bem haja ao staff da Jojo’s, e que se lembrem que se a expansão se deveu à fidelidade dos clientes, ela não aconteceu por acaso.

Posted Segunda-feira, 6 Julho 2009 by Silva in Musica

%d bloggers like this: