Ohm, Sweet Ohm IV

Mais três…

Minotaur
The Clientele
Ω Ω Ω

Um ano após a perfeição Outonal de Bonfires on the Heath, os Clientele re-aparecem em 2010 com um mini-álbum (ou se quiseremos, um EP de 30 minutos) com sobras de material das ultimas sessões. E que sobras são – MinotaurGerry captam o ouvinte da mesma forma que os primeiros acordes de I Wonder Who We Are.

Apesar de lhe faltar a coesão de um álbum devidamente estruturado, resta-lhe apoiar-se na força das musicas.  Consegue? Sem dúvida.

Surfing The Void
Klaxons

Não é que seja mau.  Aborrece, mas não ofende, tem alguns momentos razoavelmente bons (Venusia), mas no fim por baixo de todo o blá blá experiencialista dos membros da banda, é um álbum formulaico, com o single Echoes a ser o melhor exemplo. Se por pressão da editora ou não, acaba por ser irrelevante – um artista tem de saber até onde está disposto a fazer concessões…

Fission
Film School

Filhos da década que a história vai acusar de não ter sido mais que o mastigar de referências passadas (e acredito que nesses 10 anos não faltou espaço para recalcar tudo e mais alguma coisa), os Film School chegam a 2010 com um novo álbum, um pouco afastado do dreampop que classificou plenamente esta banda nos trabalhos anteriores, com músicas de certa forma mais convencionais e de mais fácil acompanhamento.

O melhor elogio que se pode fazer a Fission é que é competente. O pior é que é desinspirado, e no fundo, já ouvimos isto tudo algures. Seja há 30, 20 ou nos últimos 10 anos.

Na próxima edição: Röyksopp de certeza, o resto já não me lembro o que era.

Posted Terça-feira, 31 Agosto 2010 by Silva in Ohm Sweet Ohm

Tagged with , ,

%d bloggers like this: