Archive for the ‘Media’ Category

Recomendação televisiva

Bored to Death. Segunda temporada estreia 27. Penso que não passa nos canais de cabo nacionais, o que é um crime. Embora só ter 8 episódios na primeira série possa pesar um pouco na decisão em investir na série (embora não tenha sido impeditivo para correr a outra  pérola que é The Lost Room).

Melhor descrito pela Ritinha como “Estou deslumbrada com Bored to Death! É como ter uma daquelas boas comédias dramáticas com durabilidade extra-longa“.

Letes luke at the treila:

Posted Domingo, 8 Agosto 2010 by Silva in Televisão

Are we there yet? Are we there yet? Are we there yet?

Posted Quarta-feira, 21 Julho 2010 by Silva in Televisão

Diferenças

O que o Blitz faz

vs

O que o Blitz devia fazer

Mas pronto, já sabemos que andar a servir como boca da Optimus dá demasiado trabalho (até para cobrir concertos que qualquer publicação decente devia ter que cobrir) para o neurónio colectivo daquele pasquim.

É obvio que o trabalho do WSJ não é propriamente o mais extensivo. Mas não deixa de ser mais interessante que um blog de um jornal não dedicado a música tenha mais trabalho a relatar quase uma não-notícia que a página oficial da que será a revista nacional de música com maior tiragem.

Diferenças.

Posted Terça-feira, 30 Março 2010 by Silva in Media, Musica

Meet the press

mercado_puro1O que esta ali à direita é a minha coluna de opinião, publicada hoje no diário grauíto Meia Hora, em conjunção com o blog Mercado Puro, do qual faço parte actualmente. Para a ler, basta clicar na imagem, ou então obter o jornal completo do dia 24 no site próprio (ou clicar aqui, e ir para a página 10 caso cheguem aqui com uma semana de atraso), ou então ir ao Mercado Puro.

O meu ponto de vista já deve ser bem conhecido por todos aqueles que me conhecem ou frequentam este tasco, mas no entanto acho sempre importante que ele chegue ao maior número de pessoas possível – principalmente aquelas que não pensam muito no assunto ou apenas estão expostas a um dos pontos de vista da realidade deste assunto. Esta era então uma oportunidade única de o fazer.

Dito e feito, este é o primeiro de uma série de textos sobre a mesma temática que devem ser publicados num futuro próximo. Este tasco tem estado algo abandonado, mas deve-se a outras coisas não relacionadas com outros projectos (em parte, igualmente negligenciados).

Posted Sexta-feira, 24 Abril 2009 by Silva in Media, Musica

You don’t need a weatherman to know which way the wind blows

t1landobama01gi

Posted Quarta-feira, 5 Novembro 2008 by Silva in Media

House jumps the shark!

10.0 10.0 10.0 10.0 10.0  11.0

Mas que grande salto, meus senhores. Desde outro Greg, o Louganis, que não se via um salto assim, ainda para mais por cima de um tubarão!

Massive spoiler a seguir ao read more. Não cliquem se ainda não viram o episódio e planeiam ver:

Leia o resto deste artigo »

Posted Quarta-feira, 29 Outubro 2008 by Silva in Televisão

Manifesto Euronews

At euronews, we believe that the growing use of sensationalism in news influences and distorts the viewers’ perception of current global events.

At euronews, we truly believe in individual intelligence and think that the role of a news channel is to supply each person with sufficient information to allow the viewer to form his own opinion of the world.

The work of the journalist is not to take sides, but rather to transcribe reality objectively and with complete integrity. This is the battle that euronews has led from the very beginning: to provide you with the facts and nothing but the facts.

euronews, pure news

Era este o texto que saudava os visitantes do site da Euronews hoje, numa altura em que o primeiro  o entretenimento e o sensionalismo tomaram conta dos blocos noticiosos, e cada vez mais são as influências políticias, sociais e económicas que ditam o que é notícia e o que é marcado a vermelho, numa censura feita à mostra de todos, mas mesmo assim ignorada por grande parte das pessoas.

O propósito das notícias deveria ser informar as pessoas e deixá-las tirar as conclusões a partir daí. Não seguir uma agenda e apresentar as conclusões mesmo antes dos factos serem conhecidos. Porque as verdadeiras notícias devem ser tal e qual uma das secções mais conhecidas no canal: no comment.

Posted Domingo, 21 Setembro 2008 by Silva in Media, Televisão