Archive for the ‘Amusement Parks On Fire’ Tag

TOP DA DÉCADA: 150 – 50

Depois de apresentar os melhores de 2009, chegamos agora à altura de apresentar os melhores da década. Estes estão por ordem alfabética, e de novo, não estão por qualquer ordem de preferência.

Assim, aqui estão os álbuns eles:

Leia o resto deste artigo »

Anúncios

Megapost compras JAN-MAR

comprasPor motivos ligados a falta de tempo, esta secção ficou esquecida pr quase um trimestre (após ter acontecido o mesmo no final do ano passado, mas por outros motivos), e apesar de desafiar a sorte e estar aqui a descrever as compras de Março ainda com quase 10 dias de mês a faltar. O que pela lógica das coisas, quer dizer que às tantas ainda chego aos 35. Ou talvez não, que a próxima compra é o Watchmen em toda a sua glória papeleira.

Leia o resto deste artigo »

Álbuns para 2009

Depois de em 2008 ter sido preciso esperar por Abril para escrever o post com o mesmo propósito, desta vez aparece ainda nas primeiras semanas de 2009. Além de alguns especulativos, este post foca-se na primeira metade do ano – em Junho faz-se um novo.

Leia o resto deste artigo »

When the dead survive…


In Flight – Amusement Parks On Fire (Out Of The Angeles, 2006)

Não é bem assim, mas tem mais piada que “When the debts arrive“. Quando virem uma banda chamada “Soviet Safari” a fazer shoegaze com uma música influenciada por filmes de zombies, sabem que já tenho uma guitarra. Ou um sintetizador.

Posted Quinta-feira, 28 Agosto 2008 by Silva in Videoclip

Tagged with

What day is today?

Compras AbrilNão, não acho que existe uma música chamada “Monday Morning” (o mais próximo que conheço é a Sunday Morning dos Velvet Underground), mas é o dia em que finalmente faço o tão pouco esperado post com coisas que compro. Mas que faço na mesma.

Conforme tinha dito anteriormente, comprei os primeiros vinis de 12″, e obviamente não tenho espaço para eles. Seja como for, são uma recordação da feira do vinil em Gaia a comemorar o Record Store Day. Sobre o single de 12″ dos KLF não há nada a dizer – ou melhor, até há, mas deixo isso para uma versão mais formal de um texto que meti no Google groups. O single de 12″ é o bastante comercial (como seria de esperar por parte daqueles dois) 3.A.M Eternal (Live at the S.S.L.), um dos maiores hits da vaga acid house/rave/whatever. À direita, Palavras ao Vento, o LP de 1991 dos Resistência que a bem dizer catalisou todo um interesse na música Portuguesa na primeira metade dos anos 90 (e ajudado por problemas contratuais dos agora “dinossauros” dos anos 80). Parece uma compra algo atípica, mas o cassingle com a Nasce Selvagem, Não Sou o Único e Liberdade foi a minha primeira compra músical, isto lá para os anos idos de 1992 ou 1993. Ou 1991, nem consigo situar bem no espaço temporal. Só sei que foi uma terça-feira solarenga, na feira da Areosa, onde comprei igualmente um boneco de ventosa do Alf. Nada mau para o gajo que descobriu uma banda com um som jeitoso de manhã, e enquanto curava as dores no estômago estendido a ver TV se esqueceu do nome. Seja como for, aqui fica Nasce Selvagem:

A fechar as aquisições feitas de plástico talhado (já que não resolvi a situação do híbrido dos New Order e não o vou meter assim), o homem que salvo erro estreou a secção de videoclips aqui do tasco, John Foxx (então nos Ultravox) com o seu primeiro single a solo após a saída da banda, Underpass.

Um dos primeiros músicos new wave/post-punk e uma das inspirações para Gary Numan, um dos maiores artistas pop do virar da década, Foxx teve uma carreira bastante irregular (não como Numan, que apesar do decréscimo de qualidade continuava a produzir álbums em série, mas a desaparecer completamente da cena musical e voltar às roupagens de Dennis Leigh, professor e designer) ao longo das décadas seguintes, o que acabou por minar as suas aspirações no palco das músicos mais influentes da revolução musical dos anos 70.

Agora nos CDs, podemos dizer que foi o mês das edições com DVD. Mas começamos pelas normais – o segundo CD do Bernard Butler (que tem o site em remodelações – virá por aí o terceiro?) a solo entre os Suede e os The Tears, e partilhado com o projecto junto do cantor soul David McAlmont. Este tenho que admitir que ainda não o conheço convenientemente, mas comprei-o com base numa recomendação muito firme de alguém em quem confio bastante. Assim que tiver uma faixa escolhida, irá aparecer algures num post. Do outro lado está o The Rise And Fall Of Ziggy Stardust And The Spiders From Mars, a obra-prima de David Bowie lançada em 1972. Não há muito que possa dizer sobre o álbum; andava a pensar em comprá-lo há anos, mas foi preciso ver o Velvet Goldmine para me decidir a comprá-lo. Mesmo assim, ainda não me resolveu a dúvida eterna: será que o Peter Murphy canta a Ziggy Stardust melhor que o Bowie? Acho que preciso de comprar o single dos Bauhaus para ter a certeza…

Agora, as ditas edições com DVD. Numa altura em que a distribuição física é ameaçada pelos altos custos (comparado com edições apenas digitais) e pirataria, uma solução (principalmente para álbum sem “idade” para remasters ou sem material para faixas extra) é colocar um DVD com diversos tipos de extras. O DVD extra de Out Of The Angeles dos Amusement Parks on Fire (que já tinha comprado antes, mas consegui vender a verão normal e comprar esta por uma diferença mínima) encontra-se um concerto completo, e embora o som seja de uma grande qualidade, a decisão do realizador em mudar de ângulo de camera a cada cinco segundos acaba por tornar a experiência algo… desagradável. Seja como for, sempre é melhor que uma versão só com um CD. Já o dos Franz Ferdinand inclui bastantes extras, desde a filmagens e fotos da gravação do álbum, uma entrevista, o videoclip de Do You Want To e desbloqueia uma parte extra no site (que não tenho grande vontade de ver o que é). Assim, despeço-me deste post com Walk Away:

Posted Segunda-feira, 28 Abril 2008 by Silva in Compras

Tagged with , , , , , ,

Álbuns para 2008

Depois de comprar o Distortion, comecei a pensar que mais álbuns a sair este ano é que podem ser interessantes. E como penso melhor com uma folha ou algo onde escrever à frente, por algum motivo lá achei que este podia ser um assunto interessante para aqui. Começando…

Leia o resto deste artigo »

Muita coisa

Como não estou para meter só um videoclip, decidi fazer um round-up para todos os que passaram a decorar a minha estante nos últimos dias.

In This Twilight – Nine Inch Nails (Year Zero, 2007)

Video não oficial para a que será uma das músicas mais fortes dentro do álbum que colocou toda a gente a falar em 2007 pela promoção arrojada. Não vou falar ainda mais do álbum: acho que há um ano disse quase tudo que havia a dizer. Tirando que o CD a mudar de cor é mesmo giro.

The Boo Radleys (C’Mon Kids, 1998)

Ainda não tinha ouvido nada deles, por isso quando a Jojo’s/CDGo meteu este C’Mon Kids à exorbitância de €2.5, era um crime não aproveitar. Não meti foi videoclip nenhum… porque não encontro no Youtube, e suspeito que nem fizeram um que seja. Cambada de tesos. Fiquem com a Wake Up Boo!, seja como for.

Somewhere Only We Know – Keane (Hopes And Fears, 2004)

Antes que comecem com merdas, deixem-se de conices: o Hopes And Fears é dos melhores álbuns de 2004, e não fosse o azar de ter vendido mais que árbitros lá para Gondomar e tido mais airplay em 24 horas que os balões do Steve Fossett (já que os do Branson não são lá grande coisa, eh), eram capazes de andar os indies todos à volta deles. Pode não ser um Franz Ferdinand, Absolution ou um Funeral, mas é bom. Já não ponho as mãos no fogo pelo Under The Iron Sea (sim Katie, mudei de opinião :P), mas quanto ao H&F, está dito, ponto final. Quanto à compra em si, a edição limitada é um dos bons achados na Jojo’s/CDGo enquanto saneava os stocks. Principalmente quando a versão normal pouco menos custava noutros sítios…

In Flight – Amusement Parks On Fire (Out Of The Angeles, 2006)

Se são os Asobi Seksu no céu, temos os Arcad Amusement Parks On Fire na terra. Num género actualmente dominado por bandas americanas, esta banda de Nottingham, inicialmente um projecto de um homem só, lançou em 2006 este Out Of The Angeles, uma excelente exploração pelos caminhos do New-gaze. Podia falar mais deles, mas tenho um post maior só para eles na calha.

California Girls – The Magnetic Fields (Distortion, 2008)

O meu “primeiro amor” de 2008, o nono álbum de Stephin Merritt no seu projecto principal combina o humor irónico que tinha mostrado nos trabalhos anteriores com influências dos The Jesus And Mary Chain – aliás, a ideia era ser mais JAMC que os JAMC, o que não é perfeitamente audível nesta versão ao vivo. Mas que mesmo assim dá-me vontade de ir a Lisboa só para os ver. Mas tendo em conta que neste momento nem dinheiro de sobra tenho para entrar num autocarro, vai ficar para outro dia. Um dos highlights do álbum é sem dúvida a Too Drunk To Dream, que teve direito a um post só para ela há uns meses. E porra, quero o Shane McGowan a cantar a música!

Depois, ainda estive para ir comprar o álbum de onde saiu esta…

 

…mas já não estava por lá. Ó inclemência! Ó martírio!

Ou paciência. Há de aparecer eventualmente.

Posted Sexta-feira, 7 Março 2008 by Silva in Compras, Videoclip

Tagged with , , , ,