Archive for the ‘Joy Division’ Tag

Megapost compras JAN-MAR

comprasPor motivos ligados a falta de tempo, esta secção ficou esquecida pr quase um trimestre (após ter acontecido o mesmo no final do ano passado, mas por outros motivos), e apesar de desafiar a sorte e estar aqui a descrever as compras de Março ainda com quase 10 dias de mês a faltar. O que pela lógica das coisas, quer dizer que às tantas ainda chego aos 35. Ou talvez não, que a próxima compra é o Watchmen em toda a sua glória papeleira.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios

Música para Gente com Falta de Tempo, vol. 3

E conforme prometido, aqui ficam as últimas músicas (por enquanto).  A parte final desta trilogia tem nomes de peso, incluindo o que serão os “reis” do formato, os Buzzcocks, bem como outros nomes tão diversos como os Joy Division, Crystal Castles, Suede, Radiohead, Happy Mondays, Velvet Underground ou os Yo La Tengo. Esta entrega inclui…

Ash – Kung Fu
Boards of Canada (alegadamente)- Fly in the Pool
Buzzcocks – Oh Shit
Crystal Castles – Love and Caring
Death From Above 1979 – Dead Womb
Durutti Column – Sketch for Winter
Everything But The Girl – Disenchanted
Happy Mondays – Do It Better
Joy Division – Interzone
Morrissey – Billy Budd
No Age – Brain Burner
Quit Your Dayjob – Freaks Are Out
Radiohead – How do You
Suede – Crack In The Union Jack
The Bristols – Little Baby
The Libertines – Campaign of Hate
The Parallelograms – Orchard Square
Vashti Bunyan – Train Song
Velvet Underground – I’ll Be Your Mirror
Walter Carlos – Title Music from A Clockwork Orange
Yo La Tengo – The Whole of the Law

Daqui a uns dias vou experimentar colocar uma votação a ver se o povo quer mais. É que deve haver aqui material para mais uma ou duas entregas. Podem ver a lista de mixtapes aqui, ou então, clicar aqui.

They Keep Calling Me


Dead Souls – Joy Division (Still, 1980)

Depois de um semana em que tudo parecia correr mal e uma Sexta que provou que nem tudo parecia ser o que era, dou comigo a acordar a meio da noite com pesadelos. A banda sonora para eles é invariavelmente esta música dos Joy Division.

Posted Sábado, 13 Dezembro 2008 by Silva in Videoclip

Tagged with

Compras SET-DEZ

Agora reparei que desde Setembro que não me ponho a falar dos CDs e outras coisas que compro. Um exercício deveras fascinante para todos os que vêm isto, mas que às tantas, está relacionado com a falta de visitantes nos últimos meses. Será? Por isso, vamos dar uma visita relâmpago ainda este ano pelas coisas que comprei desde Setembro, e alguns apontamentos sobre os mesmos… que me lembre. Porque nem sei o que almocei hoje, quanto mais quando comprei certas coisas. Ora cliquem aí no … Leia o resto deste artigo »

Posted Segunda-feira, 31 Dezembro 2007 by Silva in Compras

Tagged with , , , , , , , ,

Um post para chocar algumas pessoas

The Chameleons > JOY DIVISION

Sim, estou a analisar muito cuidadosamente de quem gosto mais.

Para não ficarem com muitas ideias, são os dois de Manchester – a minha fé naquela cidade é inabalável (tirando os Oasis, que começo secretamente a acreditar que são de York).

Posted Domingo, 22 Julho 2007 by Silva in Musica

Tagged with ,

As desventuras do Chanceler Silva na Fnac

Era altura de comprar um CD. A escolha, essa, já havia sido feita há algum tempo e caía no Bummed dos Happy Mondays, que ainda há pouco tempo elegi como um dos melhores albums entre 85 e 93 (ou qualquer coisa assim). Apesar de não ter reservado quando passei por lá para comprar o CD dos New Order, não era a primeira vez que atiravam um CD sem stock para as transferências entre lojas, por isso, lá fui com esperança que estivesse por lá.

As coisas começaram a ficar estranhas no caminho, com, por algum motivo, olhares na minha direcção. Entre as possibilidades estavam a) o cabelo estava ridiculamente levantado b) o pequeno corte na testa causado por uma bandeira cadente do topo da estante estava a verter c) a forma como estava vestido tinha algo de espectacularmente errado ou d) toda a gente viu o blog do Markl e pensou “porra, quem é aquele gajo que parece que saiu de um buraco?”, ficando com uma forte impressão minha, tal Bigfoot.

Ou nenhuma das acima indicadas. Mas a tentação de passar pela Pull and Bear e levar alguma coisa para o vestiário (coisa que muito certamente ia poder escapar sem comprar com um “mangas curtas” ou “demasiado apertado”) e ver se estava alguma coisa anormal. Mas adiante. Chegando à Fnac, após esse verdadeiro cross-country provocado pelas obras, e indo quase directamente para a secção de música, é óbvio que não estava por lá (embora “óbvio” seja muito vago para uma coisa que pode estar em “alternativa”, “anglófona” ou “dança”. Como ainda era cedo, e ainda não tinha tomado a minha dose de música em algum tempo (porque ainda não me deu para comprar um leitor de MP3), lembro-me de pegar no Substance dos Joy Division e ouvir o minutinho reservado para a Atmosphere (para a sensação auscultadores Fnac, por favor insira cinco lenços de pano e um lençol em cima das colunas, que meter a 32kbps não chegou).

Eis o que a certa altura estava a ouvir, enquanto segurava o CD:

Vais… para a choldra…
Sacaste-me… em MP3…
A tua pena… 5 anos…
Por cada Giga que tens… no disco…
Vais para a choldra…

Aos que certamente vão dizer “é por gajos como tu, que
pirateiam CDs a torto e a direito, que a Factory
deu o berro”, deixo a versão que realmente
acabou com a Factory:

Hoje… não te vi no bar…
A casa está cheia… os DJs começaram…
Não… não fui…
Hoje não bebi… comprei ecstasy
Por isso… não bebo…

Com isto a ecoar na cabeça, e a imagem alternativa não menos alucinada do CD a cantar a música virado para mim, o resultado só podia ser um:

substance_jd_3.jpg

Pois bem. Entre encontrar caras familiares que por acaso até é sempre um prazer rever (memories of better times) e ter reservado o CD dos Mondays algures para a próxima semana, nada como voltar de autocarro com o ecoar incessante de galinhas no 704. Não que estivessem as ditas cujas lá, mas acredito que toda a gente sabe do que me refiro.

Sim, mulheres de meia idade A FALAR ALTO DAS SUAS VIDAS NUM AUTOCARRO CHEIO DE GENTE COMO SE ALGUÉM SE INTERESSASSE. Prontos. Já disse. Que se lixe a cortesia.

E agora, a pergunta: como fechar um post destes? A verdade é que não tenho nenhuma ideia, por isso aqui fica uma resposta a quem me disse “Os New Order não te saem da cabeça”. Eis porquê:

no_nacabeca.jpg

Posted Sexta-feira, 15 Junho 2007 by Silva in Bandalheira, Musica

Tagged with ,

Joy Division

A música, principalmente da boa, tem destas coisas. Ontem tinha parado de tentar produzir mais umas strips para a quinta série do Isolation (sim, cujo nome deve a uma música dos Joy Division) e vou espreitar a TV e eis que quando passo pela SIC Radical, o Blitz está a anunciar a revista de Maio, onde a capa é Ian Curtis, já a antever o filme que estava a ver que nunca mais saía, e eis que colocam o videoclip da Atmosphere:

(não visivel, a cara dos apresentadores do CC quando o videoclip acabou, já que o Anton Corbijn deve fumar coisas lindas)

E assim, pela primeira vez em cerca de seis anos, vejo o Curto Circuito por mais de 2 minutos. A verdade é que já sabia da capa (fruto de conversas com a menina Buondi) há algum tempo, mas ver algo como os Joy Division num programa que (supostamente) passa coisas tão fascinantes da música actual como Frozen Apes vale sempre a pena ver.

A minha experiência com o Blitz é limitada. Só de ver todas as Terças há uns cinco anos nos intervalos das aulas matinais de programação e ter cometido o erro de ter comprado um número dedicado aos Pink Floyd e ao Syd Barrett em 2006 cujos conteúdos parecem ter sido criados a olhar para meia dúzia de tabs abertas na wikipedia.

silva_pinkfloyd.jpg

No fundo, o problema da quase obsessão com algumas bandas (Pink Floyd, The Smiths, Joy Division, Ultravox!, Depeche Mode, Nine Inch Nails) é tornar difícil ficar satisfeito com algum artigo de revista que não seja uma entrevista, já que acaba por ser difícil mostrar alguma coisa de novo sem alienar ao mesmo tempo aqueles que nada sabem. Mas ao mesmo tempo, ser incapaz de resistir a ir à carteira para comprar mais um número. E escrever posts grandes em blogs. E assim foi, mais uma vez.

silva_iancurtis.jpg

Os Joy Division terão sido o expoente máximo do Post-punk, e consequentemente, terão moldado muito da música feita até aos nossos tempos, principalmente pela porta do chamado Rock alternativo.

O texto, escrito por Jon Savage (England’s Dreaming), vai desde os princípios da banda enquanto Warsaw até ao “e agora?” após o dia 18 de Maio de 1980. É essencialmente um texto escrito por quem esteve lá e viu como uma banda nascida do mítico concerto dos Sex Pistols no Free Trade Hall de Manchester em 4 de Junho de 1976 tornar-se de um dos ícones e referências do pós Pink-Floyd e Yes e também do pós Sex Pistols e Crass. Tal como seria de esperar, não conta nada de essencialmente novo – a diferença é que ao contrário do texto sobre os Pink Floyd, aqui o leitor não se sente insultado pela forma light como se escreve sobre o assunto: são 18 páginas, algumas delas preenchidas com fotografia excelente, incluindo intervenções de Peter Hook e Tony Wilson.

No entanto, um lado negativo. Com tanta banda de jeito para ir perguntar sobre a influência dos Joy Division na sua música vão buscar o emo dos My Chemical Romance? Epa, não me fodam, os Interpol e até certo ponto até o Trent Reznor podiam dar uma melhor impressão do em vez do “buá-buá-buá era um puto gordo que agora recebe milhões de Dolares a escrever música para putos que se cortam porque uma gaja não lhes fala”. Uma coisa é verdadeiro pessimismo, que vem da alma por ver um presente degradado e um futuro incerto (no fundo, devia escrever música dentro de um dos prédios que andam a cair pelo Porto fora), outra é diarreia de LiveJournal.

Para acabar, após ter passado uma semana a ameaçar cascar na revista, fica bem dar o braço a torcer e admitir que o formato da revista está bastante mais agradável que o anterior jornal. São bem capazes de ter arranjado um cliente novo, até porque o suplemento “Blitz Aprova” é capaz de ser interessante para ver se metem alguma das coisas mais obscuras que tenho por aqui.

Vamos acabar com um dos momentos únicos dos Joy Division, Transmission e She’s Lost Control ao vivo.

Posted Sexta-feira, 27 Abril 2007 by Silva in Musica

Tagged with