Archive for the ‘To My Boy’ Tag

TOP DA DÉCADA: 49 – 25

E agora sim, começam a aparecer os álbuns verdadeiramente interessantes:

Leia o resto deste artigo »

Anúncios

Música para Gente com Falta de Tempo

Blá blá blá, vida moderna blá blá, falta de tempo, etc. Para poupar tempo a toda a gente, vamos directos ao assunto: Na minha senda de playlists, em vez de apresentar a 4ª mixtape de Shoegaze e afins, desta vez apresento um novo projecto: Música para Gente com Falta de Tempo.

O conceito é muito simples: todas as músicas têm NO MÁXIMO dois minutos e meio, e são mesmo músicas, não intros e passagens. Isto permite que possam ser colocadas no leitor de mp3 (em random, até porque não me preocupei em numerar as músicas – é irrelevante) e serem ouvidas sem ser preciso andar atrás do skip. Tem variedade qb, por isso não deverá ser muito aborrecido…

Por isso, aqui está o primeiro volume, que contem (por ordem alfabética)…

  • A Certain Ratio – Skunk
  • Asobi Seksu – Umi De No Jiatsu
  • Bob Dylan – Subterranean Homesick Blues
  • Cat Power – Islands
  • Christ. – Sunart
  • Datarock – Bulldozer
  • Fabienne Delsol – That’s The Way To Do It
  • Isaac Hayes – Shaft’s Cab Ride
  • Kevin Shields – Are You Awake?
  • Love Spirals Downwards – Love’s Labour’s Lost
  • My Bloody Valentine – Lovelee Sweet Darlene
  • No Age – Miner
  • Ratatat – Gipsy Threat
  • Sebadoh – God Told Me
  • Super Furry Animals – The International Language of Screaming
  • The Chameleons – Silence, Sea and the Sky
  • The Jesus and Mary Chain – Taste of Cindy
  • The Kills – U.R.A. Fever
  • The Long Division – Neighbors
  • The Smiths – Vicar in a Tutu
  • To My Boy – Outerregions
  • Vivian Girls – I Believe in Nothing

Como é óbvio, não vou meter o link, mas de certeza que algum anjo da guarda o irá fazer.

O volume dois, irá ser postado na sexta. o três, domingo. ou qualquer coisa para essa altura.

Compras Agosto-Dezembro

Já não faço um post destes há bastante tempo, mas por um bom motivo – desde finais de Agosto que me comecei a concentrar na guitarra em vez dos discos de plástico encomendados da Amazon. Mesmo assim, isso não quer dizer que tenha parado – apenas abrandado. Por isso, antes de fazer o balanço anual de compras aqui ficam as coisas que comprei desde princípios de Agosto (altura do último post) até ontem, com a tradicional compra de dia 31.

Leia o resto deste artigo »

4 videoclips

Porque esta semana apetece-me meter mais que um…


Babies – Pulp (His N’ Hers, 1994)


Fear of Fragility – To My Boy (Messages, 2007)


Atlas – Battles (Mirrored, 2007)


Lady Cobra – Riding Pânico (Lady Cobra, 2008)

Posted Sexta-feira, 18 Abril 2008 by Silva in Videoclip

Tagged with , , ,

To My Boy

Depois deste título altamente homo-erótico, nada como explicar do que estou a falar. Um dos motivos porque não gosto nadinha de fazer listas de “melhores do ano” em Dezembro é porque sei que nos meses do ano seguinte (ou seguintes; descobri ainda há poucas semanas o que é para mim um dos melhores álbuns de 2006, Out Of The Angeles) vou descobrir coisas que gosto muito mais do que algumas escolhas feitas para encher os últimos lugares da lista.

Numa conversa que incluía os Electrocute e os Datarock, surgiram os To My Boy. Uma banda de electropop de Liverpool, que, no seu álbum de estreia Messages (com pouco mais de meia hora distribuídos por 11 músicas) lança uma música com um dos arranques mais contagiosos que me lembro de ouvir, Outerregions:

Tal como no final do videoclip que decora este parágrafo (é a I am X-Ray), utterly thrilling.

Se há coisa que não entendo é como os Uuuuuhuuuhuuuuhaaaahxons, cujo álbum se pode resumir à Golden Skans, são levados ao colo como os salvadores do “indie” dançável/dance punk (não me comecem com os LCD Soundsystem que se aquilo é dançável, então sou um frigorífico ainda maior do que pensava), enquanto os Sunshine Underground ou estes To My Boy são colocados de lado. Como não entendo, vou simplesmente culpar o NME. O que, convenhamos, é capaz de ser verdade.

Anyway, fiquem com a In The Zone, outra daquelas que entra no ouvido muito facilmente:

How can you feel alone, you’re not alone, YOU’RE IN THE ZONE!

Posted Terça-feira, 25 Março 2008 by Silva in Musica

Tagged with