Archive for the ‘Diários do Mundial’ Category

Homenagem aos Campeões do Mundo

E para acabar de vez com os diários do Mundial, aqui ficam dois wallpapers a celebrar a vitória da Itália. Para poupar tempo com resoluções e afins, estão disponíveis dois formatos (4:3 e widescreen) tamanho XXXL.

 


4:3 / widescreen


4:3 / widescreen

Como é habitual, qualquer coisa basta deixar nos comments.

Anúncios

Posted Domingo, 16 Julho 2006 by Silva in Diários do Mundial, Wallpapers

Diário do Mundial XXXV

E aqui estamos, no encerramento oficial do mundial que agora acabou. Em vez de notícias, este post final irá servir para fazer o balanço da competição. E assim começamos.

Leia o resto deste artigo »

Posted Quinta-feira, 13 Julho 2006 by Silva in Diários do Mundial

Diário do Mundial XXXIV

Zidane Melhor do Torneio
Zidane, o responsável por uma das maiores cabeçadas vistas em fases finais do campeonato do Mundo foi eleito o melhor jogador do torneio pela FIFA. Figo está arrependido de não ter acertado em cheio no peito de Van Bommel (embora ele estivesse ocupado com as mãos de Petit, esse franciú tarado). Ainda se desconhecendo o que fez o médio fazer reanimação cardio-pulmonar em Materazzi, a FIFA informou que fechou os votos ainda no final da primeira parte. Tal como Portugal venceu o de equipa mais espectacular, suspeita-se que as votações para este prémio fecharam antes do inicio da competição.

Mundial de 2010 em risco
Os diários do Mundial 2010 começam com esta notícia (e se calhar acabam, se já estiver a fazer tijolo por essa altura), que alguns dos estádios e infraestruturas na Àfrica do Sul podem não estar prontas para a competição. Sobre a oferta da Alemanha em ajudar a preparar a competição, Septic Bladder, o presidente da FIFA, já veio defender os seus engraxadores dizendo que “Não podemos ir com uma atitude missionária, de canzana é melhor. A África do Sul tem pessoal bem treinado, desde que não morram todos antes de 2010,  a nossa atitude deve ser retribuir tudo o que a África deu ao futebol, desde votos na minha pessoa nas eleições da FIFA até equipas que têm piada, mas são eliminadas antes de criar problemas às equipas grandes”.
A Austrália (interessante, não significasse jogos às 5 da manhã) e os Estados Unidos (interessante, não fosse tudo) são hipóteses prováveis, caso a África do Sul perca a organização.

o MIP esteve à procura dos estádios no Google Earth mas só encontrou buracos. A melhor aposta é que alguem os conseguiu roubar. Inteiros.

Os golos que faltavam
Aqui estão os golos que estavam a faltar:

 

 

 

 

 

Dito isto, o golo do mundial para a MIP vai ser eleito na próxima edição

Jogadores não querem impostos
Apesar de, para variar, ser após a competição, a questão sobre os impostos sobre os prémios voltou a entrar na agenda dos jogadores Portugueses. Madaíl considera que “As selecções nacionais têm obtido, na última década, relevantes resultados internacionais, que muito têm contribuído para a divulgação do prestígio do País no exterior, situação que é justificada pelo lugar que ocupa actualmente o futebol português a nível mundial“, o que supostamente é suficiente para esses rapazes mal pagos que alegadamente representaram Portugal em terras alemãs. No entanto, para variar, o Governo faz alguma coisa de jeito, e respondeu com um rotundo “NÃO”.

Caso a federação consiga os seus objectivos, a redacção de uma pessoa do MIP irá pedir um subsídio por entreter as cerca de 10 pessoas que lêem (ou liam) diáriamente os Diário do Mundial por cinco minutos.

 

Posted Terça-feira, 11 Julho 2006 by Silva in Diários do Mundial

Diário do Mundial XXXIII

Itália 1-1 França (5-3 GP)
A primeira parte foi marcada por uma apagão gigantesco na zona, pelo que a parte interessante esfumou-se tal como uma floresta Portuguesa no Verão. Restava a segunda parte, onde a França ameaçou desempatar a partida, as foi Toni que marcou, tendo o golo sido anulado por fora de jogo. Após isso, a França voltou a pressionar, mas a estratégia de rematar à baliza de qualquer distância inferior a 60 metros não resulta, e o jogo segue para prolongamento. Ainda na primeira parte, um cruzamento é correspondido por Zidane, mas Buffon desvia por cima da trave. Talvez frustrado por o Italiano ter feito o que Taffarel não fez em 1998, o mesmo Zidane, na sua despedida ao futebol, decide acabar com tudo, e se possível, acabar com o peito de Materazzi pelo caminho. Após muita discussão, o Argentino expulsa Zidane, que acaba assim a sua carreira. O que seria ainda assim uma nota de rodapé caso a França conseguisse ganhar nos penalties. Com os italianos a mostrar uma precisão asustadora, o de Trezeguet foi o mais assustador, principalmente para os adeptos Franceses. Coube a Grosso, novo reforço do Inter, a responsabilidade de dar o título à Itália no quinto remate, e assim deu o quarto aos rapazes de azul, que estavam a nadar em seco desde 1982. Ano em que curiosamente, algumas personalidades do futebol italiano saíram de umas férias patrocinadas pelo estado oferecidas após um sorteio que involveu apostas.

Golos:
7′ Zidane 0-1 – Penalty, com a bola a bater na trave, bater dentro, voltar a bater na trave e a bater fora.
19′ Matterazzi 1-1 – Canto, Matterazzi sobe mais alto que Vieira e empata a partida

1-0 Pirlo – Bola para o meio, Barthez para o lado. Um clássico
1-1 Wiltord – Esta foi para o lado, o Buffon para outro.
2-1 Materazzi – Pé esquerdo, forte, colocado, e o golo.
2-1 Trêségay – Bola num lado, Buffon para outro, bola na trave, bola no chão, bola fora da baliza.
3-1 De Rossi – Um exemplo para todos os que querem aprender a defender penalties. ESTÃO A LER ISTO EM INGLATERRA?
3-2 Abidal – Buffon de novo a não acertar no lado
4-2 Del Piero – Agora é Barthez a saltar para o lado em que a bola não foi
4-3 Sagnol – Remate com força, a descarregar a frustração
5-3 Grosso – Colocado, com força, com Barthez a olhar desesperado com a bola a ir em direcção à baliza e a pensar “fini”.

Golo do dia

Penalty, com a bola a bater na trave, bater dentro, voltar a bater na trave e a bater fora.

 

O último momento da Carreira de Zidane
Zidane. O Homem. O Mito. O jogador que se despediu do futebol com uma grande cabeçada no peito do Matterazzi.

O momento.


A coisa a sério. Estava a faltar “O Sá Pinto com classe”, mas tirava o aspecto dramático da coisa.

CRomoaldo quer sair
O especialista em saltos de prancha do Scolari Boys Club diz que não tem “condições para ganhar à Inglaterra” e que “eles estão praticamente a mandar-me embora do país” já que “os ingleses … quando perdem duas ou três vezes seguidas com Portugal ficam irritados“. O facto de ser um apreciador de Greg Louganis pouco tem a ver com esse facto, é claro. Seja como for, o departamento de audiovisuais do MIP produziu um gráfico que explica de forma mais detalhada os motivos que levam o piscineiro a querer sair de Manchester:

Jogos do dia:
FINALMENTE ACABOU A TORTURA! (por meia dúzia de semanas até começarem os campeonatos). Mas nos próximos dias, o balanço EXCLUSIVO, a equipa do Mundial… e os golos que faltam.

Posted Terça-feira, 11 Julho 2006 by Silva in Diários do Mundial

Diário do Mundial XXXII

Alemanha 3 – 1 Scolari Boys Club
Após a derrota nas meias finais, restava às duas equipas lutar pela medalhinha de bronze e um diploma para meter na parede. O que não é grande incentivo para que já esteve a “90 minutos da final”, mas é o que se arranja. Além do mais, 64 é um número de jogos mais redondo que 63, pelo que qualquer dia ainda vai haver jogos para decidir até ao 14º lugar, porque número mais redondo que isso só acabando com o Mundial, o que olhando para este, até nem era mau. Mas indo para o jogo, que começou mexido, com a Alemanha a ter o domínio dos primeiros cinco minutos, mas o SBC reagiu enérgicamente (o mais que as pernas permitiam, pelo menos) e por 15 minutos pareceu ir disputar o encontro, até que Kehl obriga Ricardo a estirar-se para manter a bola fora da baliza, o que serviu para a Alemanha voltar a inclinar mais o campo para a baliza de Ricardo. A primeira parte terminou com mais uma tentativa de um salto encarpado com triplo mortal à retaguarda de Cristiano Ronaldo, já a demonstrar a escola JVP do salto para a piscina, com a carinha de dor e a rotaão do tronco na direcção do àrbitro. Como o youtube é uma pequena maravilha da internet, aqui fica o lance. A segunda parte começa da mesma forma que a primeira, e acaba por ser Schweinsteiger a abrir o marcador, num lance onde o Ricardo’03 volta a aparecer em grande. Como estar com um golo de desvantagem não é desafio que chegue, Schweinsteiger cobra um livre tenso ao segundo poste, e Petit desvia com mestria para o fundo das redes, colocando a Alemanha a vencer por dois. A resposta veio de Deco, que finalmente decidiu aparecer, forçando Kahn a defesa apertada. Após um livre de Cristiano “A BOLA É MINHA E SÓ EU JOGO BUÁAAAAAAA AQUELE MENINO BATEU-ME” Ronaldo defendido por Kahn, a Alemanha partiu para o contra-ataque, e ante um abananado Petit, Schweinsteiger remata forte, colocado, e dentro da baliza, para terminar qualquer dúvida sobre o jogo. Com o desafio já decidido, e uma segunda parte que se resume a “Cristiano Ronaldo a engonhar” e à expressão “Enrabazung”, Nuno Gomes aproveita um cruzamento de Figo, e com um mergulho prefeitamente legal e vistoso reduz o nível de derrota de “embaraçosa” para “avantajada”. Interessante a noção de “antecipação” dos comentadores da SIC, que engloba um jogador aparecer sozinho ao segundo poste, com o defesa seguinte na linha do cruzamento a 10 metros de distância. Minutos depois terminava a partida, e tambem as carreiras internacionais de Kahn, Figo e Pauleta. Destaque para o “roubo descarado” do Japonês Toru Kamikawa, ao subtrair 15 segundos de jogo aos rapazes de Scolari, que davam perfeitamente para marcar 3 golos, entre cinco mortais à retaguarda do Cristiano Ronaldo e do Nuno Gomes a ajeitar o cabelo.

Golos.

56′ Schwinsteiger 1-0 – Remate de fora da àrea, com a bola a assassinar o papagaio invisível no ombro de Ricardo.
60′ Petit 2-0 – Schweinsteiger cruza forte e rasteiro, e Petit, com toda a sua experiência atira para dentro da baliza.
78′ Schwinsteiger 3-0 – Contra-ataque, Petit dá cinco metros ao jogador Alemão que ainda tem tempo para pentear o cabelo antes de rematar cruzado com tudo, até um golo.
88′ Nuno Gomes 3-1 – Cruzamento de Figo, e Nuno Gomes aparece a finalizar com um salto empranchado à frente. Coisa que o Ronaldo só usa para enganar ninguem (um bocado como a grande finta dele).

Golo do dia:

Contra-ataque, Petit dá cinco metros ao jogador Alemão que ainda tem tempo para pentear o cabelo antes de rematar cruzado com tudo, até um golo.

Pauleta e Figo despedem-se
Portugal despediu-se ontem dos seus dois recordistas, Figo com 127 internacionalizações e Pauleta com a fantástica soma de 47 golos. Dos quais, quatro marcados em competições internacionais. Com um total de 1087 minutos (distribuídos por 15 jogos), Pauleta marcou um golo a sensívelmente cada três jogos. Tal como diria o filósofo Peter Griffin, “nice”.

Estatísticas de Pauleta em competições internacionais
Euro 2000: vs. Alemanha, 67 minutos, 0 golos
Mundial 2002: vs EUA, 90, 0
Mundial 2002: vs Polónia, 90, 3
Mundial 2002: vs Coreia, 68, 0
Euro 2004: vs Grécia, 90, 0
Euro 2004: vs Rússia, 57, 0
Euro 2004: vs Espanha, 46, 0
Euro 2004: vs Holanda, 75, 0
Euro 2004: vs Grécia, 74, 0
Mundial 2006: vs Angola, 90,1
Mundial 2006: vs Irão, 90, 0
Mundial 2006: vs Holanda, 45, 0
Mundial 2006: vs Inglaterra, 62, 0
Mundial 2006: vs França, :67, 0
Mundial 2006: vs Alemanha: 76, 0

Golos em falta
Ultimamente não tem aparecido a parte gráfica dos golos do Dia. Amanhã começam a aparecer todos.

O JOGO
Finale: Itália – França, 19:00

Posted Domingo, 9 Julho 2006 by Silva in Diários do Mundial

Diário do Mundial XXXI

Scolari Boys Club 0 – 1 França
A jogar contra a tradição (que repentinamente, passou a não valer nada), os SBC enfrentavam uma equipa que já tinha eliminado Portugal por duas ocasiões no passado nas meias finais. A apostar essencialmente no mesmo 11 base desde o início do Mundial, tal como no jogo de ontem, a partida foi como um Martini do James Bond – mexida, mas não agitada. Com Deco e Figo claramente ausentes (muito provávelmente a agradecer a preparação na torradeira… perdão, Évora), o encontro pautou-se pelo jogo sem balizas, até que Ricardo Carvalho falha o corte, perde o equilibrio, e acaba por testar a dureza das caneleiras de Henry. Isto na grande àrea. Como Zidane não é daquela equipa que até perdia nos penalties contra infantis, o remate sai forte e colocado, e apesar do estiranço de Ricardo, a bola entra e obriga Scolari a imprimir mais pressão ofensiva na equipa dele. Coisa que não acontece, apesar do excelente mergulho a dois pés de Cristiano “I’m not a diver” Ronaldo ter recebido nota 10 dos sempre imparciais comentadores da SIC. Começa a segunda parte, e após dois lances de perigo junto da baliza de Ricardo, Miguel decide repetir a façanha do Euro 2004, e espetar-se espectacularmente ao sexto jogo, forçando a entrada de Paulo Ferreira, cortando o impeto ofensivo que o SBC precisava nesta altura. O maior lance de perigo veio de um livre de Ronaldo (que lá encontrou tempo entre mergulhos para meter uma para a proverbial caixa) que Barthez defende como um jogador de volley, mas Figo cabeceia por cima. A partir daí, já foi sem grande alma que se ia jogando com o tempo a passar, e assim terminou a caminhada do SBC rumo ao título, ainda com tempo de Ricardo Carvalho ficar de fora após entrada completamente escusada, e o primeiro passe em profundidade de qualidade, por autoria de Ricardo. De costas para a baliza.
Golos
33′ Zidane 0-1 – Penalty marcado como deve ser, a cobrar uma falta que não se deve fazer.

Literalmente, o golo do dia

Penalty marcado como deve ser, a cobrar uma falta que não se deve fazer.
Roundup da azia
A terceira eliminação deixou alguma azia sobre os SBC, com a velha história que Portugal, a sede dos SBC, é “um país muito pequeno, é difícil chegar, mas o jogo foi igual, equilibrado, com poucas oportunidades para cada lado“, nas palavras de Scolari, e “Portugal é um país pequeno, um povo humilde. Temos que continuar a trabalhar e a ser humildes” por Cristiano Ronaldo, um dos maiores emproados da história do futebol nacional.

Dada a questão fundamental do tamanho dos paíeses, o MIP antecipa ansiosamente a final entre Estados Unidos e China, e espera que a Grécia não invada os seus vizinhos num futuro próximo. Ou que o International Board elimine as decisões por penalties, já que os seus protegidos estão constantemente a sair por causa deles.

Posted Quinta-feira, 6 Julho 2006 by Silva in Diários do Mundial

Diário do Mundial XXX

XXX as in 30, não hardcore pr0n

Alemanha 0 – 2 Itália
A primeira meia-final trouxe colocou os finalistas de 1982 em acção, mas num jogo no qual “1982” não teve nada a ver com a qualidade de jogo desse mundial, apenas a data de nascimento de alguns jogadores. Com um ritmo de jogo vivo, mas esencialmente baseado em passes falhados e recuperações, a Alemanha teve as melhores ocasiões, mas menos posse de bola na primeira parte . Já na segunda parte, o árbitro mexicano Benito Archundia, transformou um penalty inexistente num livre directo, mas Ballack rematou por cima. O prolongamento começou com a imagem de marca de Gilardino, a fazer uma grande jogada pelo flanco direito e depois a rematar à trave. Pouco depois, Zambrotta abana os postes de novo com um remate colocado de longe, e a partir daí o jogo arrefeceu. Quando parecia que o jogo se ia encaminhando para os penalties (e invariável vitória da Alemanha), um canto da Itália sobre para Pirlo, a bola segue para Grosso que é de novo o herói da Itália com um remate excelente a bater Lehmman, a pouco mais de um minuto do fim. Com a Alemanha já completamente desesperada no ataque, um contra-ataque dá a Del Piero a oportunidade de fechar o jogo com um golo, e o futuro jogador da Serie C coloca a Itália na final em estilo.

Golos
119′ Grosso 0-1 – Canto, a bola sobre para Pirlo que coloca no lateral com um Laudrup pass, e Grosso remata arqueado ao segundo poste.
121′ Del Piero 0-2 – Contra ataque rápido, Gilardino isola Del Piero que remata com classe para o segundo

Golo do dia


Canto, a bola sobre para Pirlo que coloca no lateral com um Laudrup pass, e Grosso remata arqueado ao segundo poste.

 

Ribery e as posições
Uma das revelações do Mundial, o médio Franck Ribery e clone de Gary Neville nas horas vagas, considera Scolari “um grande jogador, que jogou em grandes equipas“, sendo corrigido pouco depois pelo staff da federação Gaulesa. No entanto, como os jogadores Portugueses nunca se enganam nem têm dúvidas, o jornal O Jogo decidiu partir para o insulto directo (uma coisa que nunca se faria nos Diários do Mundial. Mas mesmo nunca) e chamar Ribery de “idiota“. A redacção espera ansiosamente uma capa assim:

 

Já que Cristiano Ronaldo é incapaz de fazer uma frase em inglês. Mas isso seria anti-patriótico, e ele deve durar tanto em Manchester como um jogo da Inglaterra que vai a penalties.

 

Jogos do dia:
SBC – França, 20:00

Posted Quarta-feira, 5 Julho 2006 by Silva in Diários do Mundial